Por George Paulus Dias – A Engenharia de Prompt na Inteligência Artificial: É mesmo engenharia? É uma nova profissão?

(*) George Paulus Dias

Imagem criada com IA DALL-E

A inteligência artificial (IA) está transformando rapidamente o mundo como o conhecemos, e uma das áreas mais intrigantes desse campo em rápida evolução é a engenharia de prompt. Mas o que exatamente é engenharia de prompt e por que ela merece ser chamada de “engenharia”?

Sob a ótica de que “engenharia é a aplicação do conhecimento científico, econômico, social e prático, com o intuito de planejar, desenhar, construir, manter e melhorar estruturas, máquinas, aparelhos, sistemas, materiais e processos. O profissional de engenharia aplica os conhecimentos matemáticos e técnicos para a criação, aperfeiçoamento e implementação de utilidades que realizam uma função ou objetivo específico.” (WICKERT, 2023) a engenharia de prompt se encaixa perfeitamente.

No cerne da engenharia de prompt está a aplicação de princípios científicos de áreas como linguística, cognição e ciência da computação para projetar e otimizar prompts – as instruções ou perguntas fornecidas a um modelo de IA – a fim de obter os resultados desejados. Assim como um engenheiro civil aplica princípios físicos para projetar uma ponte resistente, um engenheiro de prompt emprega um conhecimento profundo da interação humano-IA para criar prompts que extraiam respostas precisas, relevantes e até criativas de modelos de linguagem.

Considere, por exemplo, a diferença entre um prompt mal elaborado e um bem construído para um modelo de IA projetado para auxiliar na redação. Um prompt fraco poderia ser algo como: “Escreva um artigo sobre engenharia de prompt“. Embora o modelo possa gerar uma resposta, é provável que seja genérica e não atenda a necessidades específicas. Por outro lado, um prompt cuidadosamente projetado poderia ser: “Escreva um artigo de 500 palavras explicando o que é engenharia de prompt na IA e por que ela pode ser considerada uma forma de engenharia. Inclua uma definição clara de engenharia de prompt, discuta como ela se alinha com as definições tradicionais de engenharia e forneça exemplos concretos de prompts bem elaborados versus mal elaborados. Conclua com uma lista das 5 melhores práticas para criar prompts eficazes.

Esse segundo prompt demonstra vários princípios-chave da engenharia de prompt: é específico sobre a tarefa e o resultado desejado, fornece instruções detalhadas sobre o conteúdo e a estrutura, e inclui exemplos para maior clareza. Assim como na engenharia tradicional, a precisão e a atenção aos detalhes são cruciais. Mas a engenharia de prompt não é apenas sobre criar instruções isoladas – é uma habilidade que requer um entendimento profundo das capacidades e limitações dos modelos de IA, a capacidade de pensar em termos de fluxos de trabalho de múltiplos estágios e uma disposição para testar, iterar e refinar continuamente os prompts com base nos resultados. Nesse sentido, ela se assemelha ao processo de design e otimização de engenharia.

CLIQUE AQUI PARA LER O ARTIGO COMPLETO

_______________________________________________________________________

(*) George Paulus Dias é engenheiro de produção pela Escola Politécnica da USP, mestre e doutor em Logística e Educação com Jogos. É empreendedor na área de TI e educação e acumula 20 anos de docência em instituições de ensino superior e treinamentos corporativos. É conselheiro do Instituto de Engenharia onde também coordena o GT Amazônia e Bioeconomia.