Início Articulistas Por Luiz Fernando Portella – O que fazer quando as partes interessadas...

Por Luiz Fernando Portella – O que fazer quando as partes interessadas do projeto não estão na mesma página

Quando as partes interessadas do projeto têm visões conflitantes, pode ocorrer confusão – e até mesmo conflito. Se você está liderando um grande projeto que parece desalinhado, eis o que você pode fazer para garantir que todos tenham os mesmos critérios de sucesso e trabalhem em direção a um objetivo comum e claro.

Descubra a raiz do desalinhamento. Existe falta de clareza sobre os objetivos gerais da organização? Existem divergências sobre como alocar recursos? Ou há má comunicação acontecendo no nível dos funcionários? Reúna-se com suas partes interessadas individualmente para identificar o que está atrapalhando uma visão coletiva.

Coloque todos na mesma página. Reúna todas as partes interessadas, virtualmente ou pessoalmente, para discutir a situação com o objetivo expresso de encontrar um terreno comum. Você está aqui para construir um acordo compartilhado sobre como é o sucesso.

Saiba quando deixar ir. Apesar de seus melhores esforços, nem sempre é possível colocar todos na mesma página; às vezes as pessoas continuarão a perseguir as suas próprias agendas pessoais. Se o problema for menor, a solução mais produtiva pode ser ignorá-lo e seguir em frente. Se for grave, agrave o problema para encontrar uma solução alternativa – ou intervenha junto à parte interessada problemática.

Esta dica foi adaptada de “What to Do When Stakeholders Have Competing Visions“, de Karen Walker e Dorie Clark

________________________________________________________________________

*Luiz Fernando Portella é CCO da Calypso Networks Association, CEO da NBO Participações e Serviços e conselheiro do Instituto de Engenharia, onde também responsável pelo projeto Mentoria a serviço da Engenharia.

*Os artigos publicados com assinatura, não traduzem necessariamente a opinião do Instituto de Engenharia. Sua publicação obedece ao propósito de estimular o debate dos problemas brasileiros e de refletir as diversas tendências do pensamento contemporâneo.