Coreia do Sul e dez países asiáticos pretendem construir cidades inteligentes

O intuito é ajudar a resolver uma variedade de problemas de urbanização, como concentração de população e danos causados pelas inundações

A Coreia do Sul e mais dez países asiáticos pretendem construir cidades inteligentes e explorar oportunidades de negócios relacionadas a elas. A informação foi divulgada nesta segunda-feira (25) pelo Ministério dos Transportes de Seul.

Cidade inteligente é uma área urbana em que as pessoas convivem e recebem, todos os dias, os benefícios da tecnologia. Tudo isso proporcionado pelos dados digitalizados, internet das coisas, inteligência artificial e robôs.

O intuito é ajudar a resolver uma variedade de problemas de urbanização, como concentração de população e danos causados pelas inundações. De acordo com a Associação das Nações do Sudeste Asiático, a taxa de urbanização dos países saltou de 18%, ou seja, 40 milhões de pessoas na década de 1960, para 48%, ou 310 milhões, em 2017, levando a um aumento na demanda por infraestrutura inteligente nas cidades.

Foi então que os países se reuniram em Singapura, em novembro de 2018, para lançar uma rede de cidades inteligentes com o objetivo de transformar 26 cidades, em cidades inteligentes.

O governo disse que vai criar um fundo no valor de US$ 1,3 bilhão para investir em projetos no exterior de plantas, infraestrutura e desenvolvimento de cidades inteligentes, com um plano para alocar recursos em projetos de cidades inteligentes no exterior.

Enquanto isso, a Coreia do Sul vai injetar US$ 4,57 bilhões na construção da primeira cidade inteligente do país até 2024. O governo planeja que 56 famílias se mudem para o complexo residencial no final de 2021, enquanto aceleram a construção da infraestrutura necessária para aplicar as tecnologias de ponta.

Fonte: Agência do Rádio 

COMPARTILHAR