“Nobel da Computação”​ vai para os pais do Deep Learning

*Por Vinicius Soares

Embora o termo “Inteligência Artificial” esteja em alta, este não é exatamente um assunto novo. As primeiras pesquisas no assunto vem de meados do século passado.

O termo “Inteligência Artificial” foi utilizado pela primeira vez em 1955 por John McCarthy como “a ciência e engenharia de construir máquinas inteligentes”. Além disto, uma das organizações mais respeitadas no estudo de Inteligência Artificial, a AAAI (Association for the Advancement of Artificial Intelligence), existe desde 1979.

Mas foi na história recente, mais especificamente na atual década, que as técnicas de Deep Learning popularizaram as aplicações de Inteligência Artificial, extrapolando as fronteiras dos ambientes de pesquisa para se transformarem em ferramentas de desenvolvimento de produtos. Passou a ser comum falar sobre sistemas de reconhecimento facial, assistentes inteligentes e carros autônomos, por exemplo.

Neste ano, no carnaval da Bahia, as autoridades brasileiras já utilizaram reconhecimento facial para identificar um fugitivo em meio à multidão. Imagem: Secretaria de Segurança Pública da Bahia/Divulgação

A grande maioria destas aplicações deriva de uma mesma base tecnológica: as Redes Neurais (Neural Networks). E foi sobre esta base que Geoffrey E Hinton, Yann LeCun e Yoshua Bengio aprofundaram seus estudos ao longo de 30 anos, criando redes neurais com uma complexidade tão grande de camadas que foram batizadas como “Deep Neural Networks”, criando a infraestrutura de software necessária para as atuais aplicações de “Deep Learning”, as técnicas de aprendizagem de máquina que requerem uma quantidade de dados menor para ser treinada e ainda assim apresentam resultados superiores quando comparados às técnicas anteriores.

Imagem: BecomingHuman.ai

E como reconhecimento a estas contribuições, resultados de uma vida de pesquisa, o trio acaba de receber o Prêmio Turing (Turing Award), carinhosamente apelidado de Nobel da Computação.

Imagem: Association for Computing Machinery

Confira mais detalhes sobre o prêmio na página do Turing Awards.

*Vinicius Soares é especialista em Inteligência Artificial e atua com treinamento, consultoria e projetos. Entre outras atividades, desenvolveu um curso de Inteligência Artificial para gestores, onde conceitos técnicos são desmistificados em vocabulário de fácil entendimento para facilitar a tomada de decisão. São oferecidas turmas abertas em São Paulo ou In Company.

*Os artigos publicados com assinatura, não traduzem necessariamente a opinião do Instituto de Engenharia. Sua publicação obedece ao propósito de estimular o debate dos problemas brasileiros e de refletir as diversas tendências do pensamento contemporâneo.

COMPARTILHAR