Sapatos vibrantes evitam tropeções

Pesquisadores do MIT, nos EUA, estão desenvolvendo uma tecnologia de navegação que usa os sapatos como guias.

Os sapatos são dotados de sensores e pequenos “motores hápticos”, não muito diferentes daqueles que fazem os celulares vibrarem. A diferença é que as vibrações podem orientar o usuário para se desviar de obstáculos ou ter cuidado com saliências no piso.

A expectativa é que esses sapatos vibratórios possam orientar o movimento dos astronautas – que têm dificuldade de movimento em suas roupas grossas e pouco maleáveis – e compor sistemas de navegação para deficientes visuais.

Sapato-guia

O desenvolvimento desses sistemas de navegação tem tropeçado na falta de meios eficientes e confiáveis de comunicação da informação espacial para os usuários.

Alison Gibson e seus colegas começaram tentando enriquecer ao máximo a coleta e o repasse de informações, construindo um sapato com seis motores vibratórios – três na frente, um de cada lado e um no calcanhar.

Contudo, os testes com mais de 500 voluntários mostraram que as pessoas não conseguem discernir as vibrações de forma similar em todos os pontos do pé.

Com isto, o protótipo final tem apenas três motores, com um ganho de sensibilidade gerado por variações na velocidade de vibração de cada motor, o que se mostrou o meio mais eficiente de transmitir ao usuário o risco de um tropeção ou de uma trombada na parede.

Autor: Inovação Tecnológica

COMPARTILHAR