Obras de reforma do estádio Mineirão são concluídas

O Governo de Minas Gerais entrega nesta sexta-feira (21) a obra do estádio do Mineirão (Governador Magalhães Pinto), em Belo Horizonte. Iniciada em 25 de janeiro de 2010, a reforma para adequar a arena aos critérios da Fifa para receber a Copa do Mundo de 2014 custou cerca de R$ 670 milhões. O projeto básico de arquitetura é do escritório Gustavo Penna Arquiteto & Associados e o escritório BCMF Arquitetos assina o projeto executivo.

Mineirão é o segundo estádio inaugurado para a Copa do Mundo de 2014

As obras foram divididas em três etapas. Na primeira, entre janeiro e junho de 2010, foram feitos reparos estruturais no Mineirão. O serviço foi orçado em R$ 8,3 milhões e os recursos vieram do governo estadual.

Já a segunda fase de execução envolveu a retirada das cadeiras, a demolição de parte das arquibancadas inferior e geral e o rebaixamento do campo em 3,4 m, para melhorar a visibilidade. Essa etapa foi realizada entre junho e dezembro de 2010 ao custo de R$ 3,5 milhões, também bancados pelo Governo de Minas Gerais.

Em janeiro de 2011, finalmente iniciou-se a terceira – e mais importante – etapa da reforma. Desta vez, o investimento foi de R$ 654,5 milhões, pagos pela empresa Minas Arena, formada pelas construtoras Construcap Indústria e Comércio, Egesa Engenharia e Hap Engenharia. 

A obra incluiu a cobertura, novos assentos e outras adequações internas do Mineirão, além da construção de uma esplanada com capacidade para 65 mil pessoas, onde funcionará o estacionamento e área de serviços do estádio, e de uma passarela de 15 m de extensão até o Mineirinho.

Em estrutura metálica, a nova cobertura tem 26 m a mais que o anterior e uma membrana PTFE, parcialmente translúcida. 

Já a esplanada foi executada em estruturas de concreto pré-moldadas, sendo composta por 530 pilares, 556 vigas e 3.815 lajes pré-moldadas. “Visando à otimização de tempo e recurso, as peças foram montadas concomitantemente com a descarga dos caminhões de transporte. Este procedimento nos proporciona menor prazo de execução bem como reduz a movimentação de guindastes no canteiro de obras”, disse Ricardo Barra, presidente do consórcio Minas Arena, na época da montagem.

A usina solar na cobertura do estádio, por sua vez, ainda está sendo instalada pela empresa portuguesa Martifer Solar. O sistema terá capacidade de geração de 1,4 MWp, o suficiente para abastecer, em média, 1.500 residências. Aproximadamente 10% da energia gerada serão fornecidas à arena. A operação comercial da usina está prevista para março.

Além da energia solar, o Mineirão ainda adotou outras medidas sustentáveis para obtenção do selo Leed. Entre elas, estão a reutilização da terra retirada para rebaixamento do campo, reaproveitamento dos entulhos provenientes da obra, controle de emissão de poeira e reúso do gramado no Plug Minas, projeto de inclusão social do Governo de Minas Gerais.

Em seus três anos, a obra contou com cerca de 3 mil operários. A inauguração nesta sexta-feira contará com o show da banda Jota Quest. Já a primeira partida do estádio será realizada no dia 3 de fevereiro, entre Cruzeiro e Atlético-MG.

Autor: PiniWeb

COMPARTILHAR