A importância das Normas Técnicas na Engenharia

O Instituto de Engenharia dentro da sua política de apoio e divulgação do uso das Normas Técnicas na Engenharia, fortalecendo o elo entre a ciência e a experiência, fará realizar em sua sede, no próximo dia 25/08/2010, às 19,30 h, através de seu Departamento de Engenharia de Energia e Telecomunicações, uma palestra sobre o tema que será proferida por dois especialistas na matéria: Martin Crnugelj, Membro do Conselho da ABNT, Secretario do Comitê Brasileiro junto à IEC e Coordenador da Divisão de Aplicações de Energia do Departamento de Engenharia de Energia e Telecomunicações do Instituto de Engenharia e José Sebastião Viel, Superintendente do COBEI – Comitê Brasileiro de Eletricidade, Eletrônica, Iluminação e Telecomunicações. O Instituto que já mantém convênios de colaboração com distintas entidades do gênero, entre as quais a ASCE – American Society of Civil Engineers, promoverá a palestra com o apoio institucional do IEEE – Institute of Electrical and Electronic Engineers – Instituto dos Engenheiros Eletricistas e Eletrônicos ou I3E (como é habitualmente conhecido), que é uma entidade com mais de 390.000 sócios em 160 paises, agrupados em 10 regiões, (o Brasil pertence à 9ª região) dedicada a promover o avanço da inovação e da excelência tecnológicas nos campos da eletricidade, eletrônica, computação e ciências afins como : micro e nanotecnologia, ultrassonografia, bioengenharia, robótica etc. sendo hoje a maior associação técnico-profissional de todo o do mundo. O IEEE publica um terço de toda a literatura técnica universal nos campos da engenharia elétrica, ciência da computação e eletrônica e ocupa a liderança no desenvolvimento das normas que dão suporte técnico à maioria dos modernos produtos e serviços de telecomunicações, tecnologia da informação e geração de energia. Além disso, o IEEE tem procurado incentivar o ensino das normas técnicas nas Escolas como escreve KATHY KOWALENKO – Editora do IEEE – The Institute Newspaper, que por oportuno, transcrevemos a seguir:

“O IEEE defende a introdução das Normas Técnicas nos currículos das Escolas de Engenharia”.

“Existe uma porção de coisas que não se ensina nas Escolas de Engenharia, inclusive, como negociar um contrato ou como administrar pessoas. Acrescente-se a essa lista, a falta de conhecimento sobre as Normas Técnicas industriais. Embora as Normas Técnicas tendam a desempenhar um papel preponderante no desenvolvimento de novos produtos, os engenheiros recém formados muitas vezes são surpreendidos com o alcance e formato que as mesmas apresentam. Para familiarizar os estudantes com o assunto e ajudar os engenheiros a fazer bom uso das normas existentes o IEEE está buscando meios de incorporar o conhecimento das normas técnicas aos currículos das Escolas de engenharia, tecnologia e computação. Esse objetivo foi detalhado numa proposição aprovada em junho(2009) pela Diretoria do IEEE. O documento enfatiza a importância da inclusão nos programas acadêmicos das Normas Técnicas relativas às áreas de interesse do IEEE. “ Para motivar as Universidades e Escolas até o ponto de dedicarem atenção às Normas Técnicas é necessário incentivá-las através de um processo de credenciamento – que é uma dos objetivos fundamentais da elaboração do documento”, diz Steve Mills, membro Senior do IEEE e presidente do Comitê de Ensino de Normas do IEEE. A proposta é o resultado de dois anos de trabalho de seu grupo, um comitê conjunto entre a Associação de Normas do IEEE e a Diretoria de Atividades Educacionais do IEEE. “Este documento será compartilhado com entidades de credenciamento como a ABET nos EUA, JABEE no Japão, e ABEEK da Coréia”, continua Mills: “ Com a ajuda de voluntários do IEEE, como o representante do IEEE na Diretoria da ABET, iremos utilizar a proposta para encorajar a discussão e o exame dos requisitos para o credenciamento em relação às Normas.”

Várias associações de engenharia e de normas técnicas serão consultadas para revisar e opinar sobre a proposta do IEEE, incluindo a VDE, a Associação Alemã de Tecnologia Elétrica, Eletrônica e de Informação; e o IET, Instituto Britânico de Engenharia e Tecnologia.

O Problema

Em algum momento de suas carreiras, os engenheiros serão requisitados para projetar algum equipamento, escrever um programa ou melhorar um sistema, utilizando uma norma técnica industrial. “Infelizmente muitos engenheiros e estudantes de computação nunca viram uma norma técnica na Escola”, informa o sócio Fellow do IEEE Moshe Kam, vice-presidente do Comitê de Ensino de Normas.

“Hoje em dia os estudantes de engenharia tem possibilidades de se formar em diferentes especialidades, em várias partes do mundo, sem nunca terem visto uma norma técnica e em muitos casos, sequer ouvido falar delas”, diz Kam. “Mesmo os que estão cursando o último ano da faculdade, é pouco provável que saibam fazer uso adequado das normas técnicas em seus trabalhos de final de curso”.

“O IEEE pensa que esta situação deve mudar” ele continua. “Os estudantes devem ser familiarizados com as normas técnicas, não só com as normas do IEEE, mas com as normas técnicas em geral e com o processo de normalização. Nosso projeto apresenta recomendações sobre os modos pelos quais os professores podem introduzir as normas técnicas – especialmente no trabalho de fim de curso, que é uma exigência quase que universal nas Escolas de Engenharia”.

As recomendações incluem:

* Indicação de que determinado processo ou dispositivo discutido em classe está coberto por uma norma técnica, com citação da norma correspondente. Este objetivo pode também ser alcançado com a utilização de livros-texto que resenhem e incluam a referência às normas técnicas em suas explanações.
* Introdução indireta de uma norma técnica pela inclusão de um resumo dos aspectos principais de suas especificações nas notas de classe, trabalhos de casa, laboratórios ou projetos;
* Uso extensivo de uma norma publicada ou de parte importante da mesma nas aulas, trabalhos de casa, laboratórios ou projetos do estudante, durante o último ou penúltimo anos do curso.
* Uso e referência regular às normas técnicas em grandes projetos ou empreendimentos maiores. Especificamente, a relevância e aplicabilidade das normas deverá fazer parte dos relatórios de andamento e finais dos principais projetos de fim de curso. Uma pesquisa de normas no campo de aplicabilidade do projeto é tão importante como a pesquisa da literatura naquele domínio.

“Não estamos pretendendo que as normas técnicas sejam ensinadas indiscriminadamente, porque tal esforço seria difícil e provavelmente absorveria demasiado tempo” reconhece Kam. Ainda assim, deveremos familiarizar os nossos estudantes com uma noção sobre as normas técnicas e fornecer-lhes algum treinamento, ainda que somente de caráter geral. Não deveríamos deixar os estudantes com a errônea impressão de que eles poderão projetar novos produtos e programas num ambiente livre de restrições, requisitos de compatibilidade e regras”. Ele acrescenta: “ Fornecendo conhecimento das normas técnicas iremos melhorar a preparação dos estudantes para um competente desempenho no mercado de trabalho”.

Miracyr Assis Marcato

08/2010

Autor: Miracyr Assis Marcato

COMPARTILHAR