Construções verdes em evidência

Cada vez mais, empresas investem em projetos e produtos que não afetam o meio ambiente

As conclusões do primeiro relatório do programa de eficiência energética em construções, divulgado pelo World Business Council for Sustainable Development (WBCSD), revelam que as grandes empresas estão, cada vez mais, em busca da construção e desenvolvimento de novas técnicas sustentáveis. Isso porque, além da responsabilidade ambiental, os prédios verdes custam, em média, apenas 5% a mais que os comuns, valor compensado por uma considerável economia de recursos que, em geral, fica na casa dos 30%.

Segundo o Departamento de Energia dos Estados Unidos, o setor de construção civil é responsável por 39% de todo o consumo energético e por um porcentual semelhante de emissão de gases do efeito-estufa na atmosfera. Isso significa dizer que o potencial de degradação do meio ambiente desse setor da economia é muito alto, fator que estimula a busca por novas perspectivas na área.

Alinhada a esta tendência mundial, a Lepri, empresa nacional especializada na produção de cerâmicas, investiu em uma nova linha de produtos. “Percebi o boom imobiliário mundial que acontecia em 2006 e me senti na obrigação de investir em produtos sustentáveis para colaborar com o meio ambiente”, afirmou o presidente da empresa José Lepri.

Sua previsão estava certa e nos últimos três anos tem crescido o interesse dos players envolvidos no mercado imobiliário por soluções mais inteligentes e sustentáveis. Isso fez com que grandes empresas passassem a investir e a procurar produtos e projetos amigos do meio ambiente. No fim do ano passado, por exemplo, a rede americana de fast food McDonald´s construiu o primeiro restaurante verde da companhia na América Latina. O empreendimento foi realizado aqui no Brasil, em Bertioga, litoral de São Paulo. Para isso procurou empresas que tivessem produtos de acordo com suas necessidades. A Lepri, que possui uma linha completa de produtos considerados verdes, decorou todo o salão externo com um revestimento feito a partir da utilização de resíduos de lâmpadas fluorescentes recicladas.

“Hoje temos uma linha completa de Ecopastilhas, Ecocerâmicas e Ecomadeiras feitas a partir da reciclagem de lâmpadas fluorescentes que demorariam mais de 200 anos para serem eliminadas da natureza, caso não fossem reaproveitadas . Com isso , iriam poluir o solo, a água e o ar por conterem o mercúrio metálico. Neste ano também criamos o esmalte biológico, uma nova técnica sustentável para os nossos produtos que servem ainda como opção ao esmalte sintético por adquirir duas cores diferentes”, disse José Lepri. O presidente ainda afirma que “muitas empresas nos procuram para participarmos de projetos sustentáveis, o que alavanca nossos negócios, ressalta nosso caráter sustentável e, tudo isso, ainda ajuda a não degradação do meio ambiente. É uma fórmula perfeita”, finaliza.

Autor: Assessoria de Imprensa da Lepri

COMPARTILHAR