Crea-SP autoriza início de obras da Casa da Engenharia de Itapeva

Na foto acima, autoridades que marcaram presença ao lado do Presidente do Crea-SP na solenidade de assinatura da Ordem do Serviço que autoriza o início das obras da Casa da Engenharia de Itapeva: da esquerda para a direita, Vereador Valdinei Pinheiro Vasco (“Preto”); Engº Luiz Waldemar Mattos Gehring, Inspetor Chefe da CAF; Vereador Osiel Pires de Moraes, Presidente da Câmara Municipal de Itapeva; Arq. Urb. Valdir Bergamini, Presidente da Federação das Associações de Engenharia, Arquitetura e Agronomia do Estado de São Paulo – FAEASP; Eng. Francisco Kurimori, Presidente do Crea-SP; Engº Waldemar Gehring Junior, Presidente da ARESPI; Eng. Civil Anderson Ferreira de Farias, representante da FAM Empreendimentos e Participações Ltda., empresa vencedora da licitação para a construção da Casa da Engenharia de Itapeva; Engº José Orlando Pinto da Silva, fundador da ARESPI e conselheiro do Crea-SP; e o Eng. Civil Luiz Roberto Sega, Superintendente de Fiscalização do Crea-SP

No dia 25 de maio o Crea-SP autorizou o início das obras de mais uma Casa da Engenharia, desta vez no município de Itapeva. A Ordem de Serviço que formaliza o início da construção foi assinada pelo Presidente do Crea-SP, Eng. Francisco Kurimori, e outras autoridades (veja fotos abaixo) em solenidade realizada no salão de eventos do Hotel Ibiza, em Itapeva, por ocasião do 32º aniversário da Associação Regional dos Engenheiros do Sudoeste Paulista de Itapeva (ARESPI). O terreno para edificação da nova Casa da Engenharia tem 4.139,18m² e fica na Avenida Orestes Gonzaga, s/nº, ao lado do prédio da ARESPI. Durante a comemoração do 32º aniversário da ARESPI a Câmara Municipal de Itapeva concedeu ao Eng. Kurimori o título de Cidadão Itapevense.

De acordo com o Presidente da Associação, Eng. Waldemar Gehring Jr., “a Casa da Engenharia do Crea-SP, funcionando ao lado da ARESPI, poderá oferecer aos nossos associados e à comunidade um espaço completo de serviços, ações sociais e culturais, e, ao mesmo tempo, oportunizar a todos os profissionais um lugar para palestras técnicas e requalificação profissional”.

“Essas ações – continua Waldemar –, em uma região tão pobre e carente como a nossa, farão a diferença, e temos certeza de que a classe dos Engenheiros, Agrônomos, Técnicos e Tecnólogos poderá ser protagonista de um novo tempo e esperanças para todos, ao fazer o bom uso do espaço, vindo este a ser um lugar de referência não apenas técnica, mas também cultural”.

Waldemar conclui afirmando que “o associativismo poderá usar seu espaço e o retorno à sociedade será na forma de ações e ideias que possam, em longo prazo, levar a todos uma melhor condição de vida, por meio da correta aplicação da tecnologia e da educação”.

Autor: Departamento de Comunicação do Crea-SP / SUPCEV

COMPARTILHAR