O segredo por trás do canhão gigante nazista deixado na costa da Noruega

Em 1942 os engenheiros nazistas criaram um plano para construir um supertanque de 1500 toneladas. O P1000 Rat, ou “Land Cruiser” seria a maior e mais feroz arma da era industrial que o mundo já havia visto. Em 1943 o projeto foi cancelado. Então como esse canhão enorme foi parar no topo de uma colina na costa da Noruega?

O Rat estava entre os projetos que Adolf Hitler usaria para demonstrar o poder industrial e militar da Alemanha. Esta apavorante e chocante arma teria o duplo papel de estimular a população alemã e acovardar os inimigos psicologicamente. Hitler chamava isso de ˜gigantismo˜.

No começo de 1943 Albert Speer, ministro do Armamento de Hitler, decidiu que um monstruoso tanque seria caro demais e seria um alvo grande demais para as Forças Aliadas – que já haviam demonstrado que suas bombas eram capazes de destruir a grossa blindagem do P1000 – e cancelou o projeto.

Mas a torre para o P1000 já havia sido construída. Era uma variante da torre naval usada nos navios da classe Gneisenau, com um canhão naval SK C/34 de 280 mm. O que eles fariam com um negócio (e um poder de fogo) desse tamanho?

Eis o que eles fizeram: anos antes, durante a Primeira Guerra Mundial, uma grande batalha naval – a Batalha da Jutlândia – foi deflagrada no norte europeu quando os alemães tentaram quebrar o bloqueio naval britânico. Estes controlavam o Skagerrak, um estreito entre a Noruega e a costa meridional da Suécia que era uma passagem estratégica para o Báltico e o Atlântico Norte.

Na ponta oeste do Skagerrak, onde o estreito encontrava o Mar do Norte, situava-se Kristiansand, na Noruega. Com a velha preocupação sobre quem controlaria a passagem ali, os alemães invadiram a Dinamarca e a Noruega e minaram a passagem.

E assim, quando decidiram onde instalar a torre do supertanque eles escolheram a Noruega – um lugar próximo a Kristiansand com vista para o Skagerrak. A enorme arma forneceria proteção adicional contra os navios de guerra dos Aliados naquela área significativamente estratégica.

A bateria de canhões acabou se tornando parte da ˜Muralha do Altântico” que Hitler organizou ao longo da costa ocidental da Europa para defender a ofensiva Aliada nas terras ocupadas.

E lá ela ficou até hoje. É uma arma tão grande que domina a paisagem costeira da Noruega – e é o objeto de criação humana melhor visto nas fotos do Google Earth sobre a Noruega.

 
 

Autor: jalopnik

COMPARTILHAR