Pesquisadores chineses criam computador quântico mais rápido do mundo

Uma equipe de pesquisadores da China construiu um computador quântico capaz de completar, em pouco mais de uma hora cálculo que levaria mais de oito anos para ser realizado.

Em 2020, um computador chinês já havia superado a marca conquistada pela Google, sendo 10 bilhões de vezes mais rápido. Mas, agora, é a vez de outra equipe do país, liderada pelo mesmo pesquisador, Jian-Wei Pan, da Universidade de Ciência e Tecnologia da China em Xangai, anunciar que superaram as outras marcas com o processador quântico chamado Zuchongzhi, atingindo o mais recente marco global de desenvolvimento em computação quântica!

A competição pelos computadores quânticos

Durante a mostra CES 2019, a IBM apresentou o Q System One, o primeiro computador quântico para uso comercial e científico do mundo, com 20 qubits.

No mesmo ano, a Google anunciou que construiu a primeira máquina a atingir a “supremacia quântica”. Com o seu Sycamore, seria a primeira a superar os melhores supercomputadores do mundo em cálculo quântico, usando 53 qubits (supercondutores que dependem do fluxo de corrente para realizar cálculos).

Contudo, em 2020, a equipe chinesa, baseada principalmente nas pesquisas da Universidade de Ciência e Tecnologia da China, em Hefei, informou que seu computador era 10 bilhões de vezes mais rápido que o da gigante da tecnologia americana.

O computador quântico, chamado Jiuzhang, usa qubits fotônicos (que são baseados em luz e têm potencial para operação mais rápida). E por que difere do da Google? Porque que constrói circuitos quânticos usando metal supercondutor e super frio. A saber, a equipe chinesa registrou seu resultado manipulando fótons (partículas de luz).

Para finalizar, em 2021, outros pesquisadores chineses apresentaram  Zuchongzhi, um computador programável 2D, usando qubits supercondutores. Segundo eles é o computador quântico mais poderoso do mundo!

As principais características do computador quântico Zuchongzhi

Zuchongzhi é um computador programável 2D que pode manipular simultaneamente até 66 qubits. Os qubits, por sua vez, são empacotados em chips, criando um efeito de superposição mecânica. Aliás, adicionar vários qubits a uma CPU quântica aumenta exponencialmente seu desempenho!

Em demonstração, a equipe chinesa usou 56 deles qubits para testar a destreza do computador Zuchongzhi, demonstrando a distribuição de saída de circuitos quânticos aleatórios.

Enfim, concluindo, o desenvolvimento de computadores quânticos é um dos maiores desafios da ciência!

Os equipamentos precisam estar em constante evolução em busca da melhoria exponencial da sua eficiência na resolução de problemas das diversas áreas das ciências.

Fonte: Engenharia 360